“Ambição na Champions”, FPF

Nuno Cristóvão acredita no potencial da sua equipa

Nuno Cristóvão acredita no potencial da sua equipa (©FPARAISO)

 

Ambição na Champions

Sábado , 31 Julho 2010
Com ambição na Champions
 
É já na próxima quinta-feira (5 de Agosto) que o 1º Dezembro, campeão português em título de Futebol Feminino, vai procurar, pela primeira vez, ultrapassar a fase de qualificação da Liga dos Campeões e conseguir o apuramento para os 16-avos-de-final da competição.
 
Incluída no Grupo 6, a formação de Sintra vai encontrar pela frente as russas do Rossiyanka, as croatas do Osijek (anfitriãs dos jogos), e as irlandesas do St. Francis. A tarefa não é fácil, pois apenas o primeiro lugar garante a presença da formação portuguesa na segunda fase da Champions Feminina, mas esta temporada, a UEFA contempla, também, às duas segundas melhores classificadas a possibilidade de apuramento.
 
A trabalhar desde o passado dia 7 de Julho, a equipa comandada por Nuno Cristóvão parte para a Croácia na próxima quarta-feira (4 de Agosto). Na bagagem, o 1º Dezembro leva a ambição e uma enorme crença que, desta vez, a história vai ser diferente.
 
Porta-voz da esperança sintrense, Nuno Cristóvão deu conta, em entrevista ao fpf.pt, das expectativas para a competição e de uma fé inabalável no talento das suas atletas.
fpf.pt: Com que ambições parte o 1º de Dezembro para a Croácia?
Nuno Cristóvão: Partimos com as maiores ambições possíveis. O 1º Dezembro já em três ocasiões esteve muito perto do apuramento para os 16-avos-de-final e este ano, pela primeira vez na história da Liga dos Campeões Feminina e da Taça UEFA Feminina (sua antecessora), além das primeiras classificadas de cada grupo, ultrapassam também a primeira fase da prova as duas melhores segundas colocadas. Temos a plena convicção de que, apesar de estarmos integrados num grupo bastante equilibrado e com um cabeça de série muito forte [as russas do FC Rossiyanka], temos a obrigação de lutar pelo apuramento.
 
fpf.pt: Que análise faz do grupo?
Nuno Cristóvão: A vice-campeã da Rússia, FC Rossiyanka, é claramente a equipa mais complicada. É uma formação muito forte, talvez a quarta mais forte que está nesta fase da prova e lidera actualmente o seu campeonato, de forma destacada, tendo inclusivamente mais 12 pontos que a finalista vencida da última Liga dos Campeões, o Zvezda. Além do mais, está na fase mais alta do campeonato russo, o que lhe permite estar em excelente forma. Depois, temos o Osijek e o St. Francis que, estando abaixo do 1º Dezembro no ranking de clubes da UEFA, são equipas muito equilibradas. Uma delas [Osijek] jogará em casa, o que tem sempre uma enorme vantagem. A outra, o campeão da República da Irlanda, St. Francis, está pela segunda vez na Liga dos Campeões e representa um tipo de futebol, muito atlético, com o qual os portugueses habitualmente têm dificuldades. Tantos as croatas como as irlandesas têm, certamente, o mesmo sonho que o 1º Dezembro e sentem que este ano pode ser um ano importante em termos da sua prestação na Liga dos Campeões.
 
fpf.pt: Em relação à equipa do 1º Dezembro que participou nas competições europeias da última temporada, houve grandes alterações no plantel?
Nuno Cristóvão: Não há muitas alterações. Mas a verdade é que, por um conjunto diferente de circunstâncias, não vamos poder contar com cinco jogadoras que foram titulares na última Liga dos Campeões e que, todas juntas, somam mais de 250 internacionalizações ao serviço da nossa Selecção “A”. Estou-me a referir à Carla Couto [recupera de uma lesão na coluna], à Edite Fernandes [está no FK Donn, da Noruega], à Sónia Matias [assinou pelo Espanhol de Barcelona], à Sílvia [está também a convalescer de uma lesão] e à Helga [abandonou o futebol]. Por esse facto, estamos conscientes de que do ponto de vista da experiência e maturidade não estamos tão fortes como na época passada. Mas esta situação, vai dar oportunidade a outras jogadoras que fazem parte da fase de renovação da equipa e que, certamente, dignificarão o 1º Dezembro e o futebol feminino português. Como já tive a oportunidade de dizer às atletas, só faz falta quem cá está, e as jogadoras têm de acreditar na sua qualidade e no excelente trabalho que têm vindo a desenvolver ao longo destas últimas semanas.
 
fpf.pt: O que significaria para o futebol feminino português a passagem do 1º Dezembro aos 16-avos-de-final da Liga dos Campeões?
Nuno Cristóvão: Seria um passo muito importante no sentido da afirmação do futebol feminino português no plano europeu. Mas a relevância da passagem aos 16-avos-de-final tem a ver, também, com a conquista de uma maior confiança por parte das atletas e com um ânimo adicional que clube experimentará e que será absolutamente justo, por tudo o que o 1º Dezembro tem feito, ao conseguir contra todas as dificuldades manter a equipa feminina com um nível muito alto.

Programa de Jogos do Grupo 6:
05-08-2010
Rossiyanka – Osijek (16h00, de Portugal Continental)

1º Dezembro – St. Francis (19h00, de Portugal Continental)

07-08-2010
Rossiyanka – St. Francis (16h00, de Portugal Continental)

1º Dezembro – Osijek (19h00, de Portugal Continental)

10-08-2010
1º Dezembro – Rossiyanka(17h00, de Portugal Continental)

St. Francis – Osijek  (17h00, de Portugal Continental)
©FPF.PT Todos os direitos reservados.
Anúncios

About S.U. 1º Dezembro | Futebol Feminino

Campeãs Nacionais de Futebol Feminino | National Women's Football Champions Ver todos os artigos de S.U. 1º Dezembro | Futebol Feminino

Comments are disabled.

%d bloggers like this: