“Prova de qualidade”, in FPF

Jamila Marreiros é uma das guarda-redes da Selecção Nacional Feminina (©FPARAISO)

Domingo , 21 Fevereiro 2010

Afirmando partir para a competição com vontade de darem o seu melhor, as guardiãs da Selecção Nacional Feminina A, Jamila Marreiros e Neide Simões, esperam que Portugal consiga provar o seu valor no XVII Algarve Cup/Mundialito de Futebol Feminino.

Ganhar motivação para o futuro
Natural de Lagos, Jamila Marreiros, que participa no Algarve Cup pela quarta vez, sente um carinho especial pela competição, considerando-a um momento de preparação, por excelência.

“Todas chegamos cá com o intuito de dar o nosso melhor, porque sabemos que este é um óptimo momento de preparação para os desafios futuros. Sabemos que as vitórias nos ajudarão a ganhar maior motivação para o futuro, principalmente para os jogos que se avizinham no apuramento para o Mundial. Depois do Mundialito vamos ter muito pouco tempo para nos prepararmos para esses jogos, por isso temos de aproveitar ao máximo para darmos o nosso melhor. Para mim, é claro que, para além da oportunidade de jogar e de mostrar o meu valor, é uma competição especial por ser na minha região. Posso contar com o apoio da família”, explicou ao fpf.pt.

Apesar de admitir alguma pressão por ser Guarda-Redes, Jamila jamais mudaria a posição que ocupa em campo. “Sempre ouvi dizer que era uma posição ingrata, mas jamais mudaria. É claro que temos maior responsabilidade, porque ninguém está atrás da Guarda-Redes, somos o último elemento em campo, mas é uma das funções mais importantes e sinto-me bem a desempenhá-la. Somos constantemente avaliadas, para o bem e para o mal, mas espero ser sempre recordada pelas melhores razões, por boas defesas e não por erros que possam comprometer a equipa”.

No que toca aos desafios que esperam a formação lusa, a guardiã acredita que a capacidade técnica da Equipa das Quinas poderá ser a chave para o sucesso. “Somos tecnicamente fortes, trocamos bem a bola e isso poderá ajudar-nos. Talvez as bolas altas possam ser a nossa maior dificuldade, mas se todas sairmos de campo com a consciência de que fizemos o nosso melhor, poderemos encarar melhor o futuro”, disse.

Espírito de grupo faz a diferença
Contando já com 23 internacionalizações, Neide Simões destaca o espírito de grupo que reina na Selecção Nacional Feminina, considerando-o o ponto mais forte deste grupo. “O espírito de grupo que temos agora é bem diferente do que tínhamos quando vim pela primeira vez e penso que esse poderá ser o nosso ponto mais forte. Não posso falar pelas colegas que acabaram de chegar, mas na minha opinião têm-se integrado muito bem e é quase como uma responsabilidade ajudá-las a sentirem-se bem, porque são uma mais-valia para a equipa. Elas vêm do estrangeiro, têm potencial e nós zelamos por tudo isso”.

Admitindo algum desconhecimento relativamente à formação das Ilhas Faroé, a Guarda-Redes lusa acredita que a Roménia e a Áustria serão adversárias complicadas. “Não tenho muito conhecimento acerca das Ilhas Faroé, mas pela posição que ocupam no ranking, acredito que sejam mais acessíveis. No que diz respeito à Roménia, já as defrontámos no passado e perdemos depois da conversão de grandes penalidades. A Áustria também não será fácil, porque apesar da vitória do ano passado, não podemos esquecer que foi escassa (1-0) e podem ser igualmente complicadas, mas faremos o nosso melhor para provar o nosso valor”, disse, ao analisar o grupo em que Portugal se encontra nesta edição do Mundialito.

Assumindo-se como uma jogadora muito perfeccionista, Neide confessa que gostaria de defender um remate batido por Cristiano Ronaldo. “Esta posição é especial, porque os erros são lembrados mais facilmente que as proezas, por isso um dia gostaria de ser recordada como alguém bastante perfeccionista, aplicada e que luta para fazer o que faz bem. Se tivesse oportunidade, penso que gostaria de estar frente-a-frente com Cristiano Ronaldo e defender um remate batido por ele. A forma como ele bate na bola e o efeito que lhe dá é muito específico, e gostaria de estar um dia na baliza só para sentir aquela emoção que antecede o remate”, concluiu.

Selecção visita Parchal
As pupilas de Mónica Jorge deslocar-se-ão à Escola EB 2, 3 do Parchal durante a manhã da próxima segunda-feira (22 de Fevereiro), regressando aos treinos às 16h30.

in FPF

Advertisements

About S.U. 1º Dezembro | Futebol Feminino

Campeãs Nacionais de Futebol Feminino | National Women's Football Champions Ver todos os artigos de S.U. 1º Dezembro | Futebol Feminino

Comments are disabled.

%d bloggers like this: