Crónica de Simão Neto

SU 1.º Dezembro   2 – 0   Clube de Albergaria

 

Para iniciar quero dedicar a nossa sétima vitória consecutiva ao Sr. Valentim e a todas as nossas jogadoras que, por uma razão ou outra, não foram convocadas, pois também elas merecem esta vitória.

Falando do jogo, defrontámos uma equipa muito bem organizada, com jogadoras de qualidade e muito combativas que nos surpreenderam com um sistema de 4x4x2 em losango, pouco habitual no nosso campeonato. Depois, ao contrário das equipas contra quem jogamos, realizaram um pressing médio alto, muito mais à frente do que é habitual, criando-nos alguns problemas de adaptação.

O Albergaria defendia com marcações individuais no meio campo e na defesa e com um libero a dar muita profundidade. Visto que as visitantes jogavam em losango levando a que, muitas vezes, estivessem muitas jogadoras do lado da bola e dificultando a sua circulação, deveríamos ter realizado mudanças de flanco muito mais rápidas e jogar por zonas menos povoadas, antes que a equipa adversária se pudesse organizar.

Nas zonas menos povoadas deveríamos ter utilizado as duas armas mais eficazes para desorganizar uma defesa individual: trocas posicionais e combinações directas realizadas em velocidade. Outro aspecto que poderíamos ter explorado mais era o espaço dado em profundidade, pela utilização de um libero, facilitando-nos a tarefa de aproveitarmos as costas da defesa, ora com desmarcações de ruptura das médios interiores, ora das extremas e até das laterais.

No jogo anterior, contra o Leixões, fomos pressionantes, realizámos um pressing alto colectivo, ganhámos muitas segundas bolas e, em muitos momentos do jogo, dominámos a outra equipa no meio campo adversário. Tudo isto traz três vantagens: confiança à equipa, pois domina o jogo e sente que está mais perto do golo; desmoralização da outra equipa que não consegue sair do seu meio campo facilitando a tarefa do nosso ataque; e melhora a nossa circulação de bola pois normalmente a outra equipa está muito baixa e desorganizada tornando-se mais fácil desequilibrar.

Neste jogo, ao contrário do que temos vindo a treinar, assim que perdíamos a bola, baixávamos muito o nosso bloco defensivo e não atacávamos o portador da bola. Assim, deixámos a outra equipa organizar-se e subir no terreno, ganhar confiança e acreditar que podia ganhar o jogo. Desta forma, em vez de termos 30 metros para chegar a baliza, tínhamos 70 metros e 11 jogadoras motivadas atrás da linha da bola que não nos facilitavam a vida em nada. Depois, como não conseguíamos fazer circular a bola com a velocidade e a qualidade que já demonstrámos ter, tivemos muito poucas oportunidades de golo. Na primeira parte, tenho a destacar mais uma grande defesa da Sara, num livre lateral do Albergaria e provámos que temos três excelentes guarda-redes.

Apesar de, na segunda parte, ter-se mantido a nossa toada atacante e as tarefas maioritariamente defensivas da outra equipa, bem como o maior tempo de posse de bola, não conseguimos criar muitas situações de finalização. No entanto, após termos realizado 3 substituições e algumas mudanças tácticas, conseguimos causar mais e novos problemas à equipa adversária (o que demonstra que o nosso banco tem muita qualidade). Posteriormente, a quebra física do Albergaria nos últimos 20 minutos tal como a capacidade de circulação de bola pelos corredores laterais, ajudaram à nossa superiorização. Conseguimos realizar, já perto do final do jogo, os 2 únicos golos através de um livre lateral e um penalty marcados pela Carla Couto, que continua a demonstrar que, apesar da idade, ainda é a melhor jogadora em Portugal.

Para finalizar, o campeonato este ano está mais competitivo, há melhores equipas e, todas fazem grandes jogos, sentindo a motivação de jogar e vencer o campeão. Por isso, temos que entrar em todos os jogos com tudo para facilitarmos a nossa tarefa. Em muitos jogos vamos ter que saber sofrer, pois vamos marcar golos e conseguir ganhar apenas perto do final do jogo. No entanto, não nos devemos esquecer que todas as vitórias valem 3 pontos, independentemente dos minutos a que são marcados os golos. Assim, temos de aprender a manter a calma e acreditar na vitória até ao fim.

“A Paciência é a Mãe de todas as virtudes” Sun Tzu.

 

Anúncios

About S.U. 1º Dezembro | Futebol Feminino

Campeãs Nacionais de Futebol Feminino | National Women's Football Champions Ver todos os artigos de S.U. 1º Dezembro | Futebol Feminino

Comments are disabled.

%d bloggers like this: