“Prestação brilhante”

Sofia Vieira. Carla Couto e Paula Cristina

Sofia Vieira. Carla Couto e Paula Cristina

 

A Selecção Nacional Feminina ‘A’ disputou esta quarta-feira o sétimo e oitavo lugar do Algarve Women’s Football Cup 2009 – Mundialito de Futebol Feminino diante da sua congénere finlandesa e só no desempate através de pontapés da marca de grande penalidade é que a Finlândia conseguiu superar Portugal.Depois de terem conseguido um feito inédito ao vencer os três jogos da fase de grupos (2-1 diante da Polónia e do País de Gales e 1-0 com a Áustria), as pupilas de Mónica Jorge ambicionavam alcançar a melhor classificação de sempre, superando o oitavo lugar alcançado em 2004.Tira-teimas dá empate
O tira-teimas entre Portugal e a Finlândia ficou por fazer (no histórico de confrontos do Algarve Cup registava-se três vitórias para cada equipa e um empate), mas as nórdicas acabaram por conseguir o sétimo lugar depois de um empate a uma bola no tempo regulamentar.

As finlandesas colocaram-se em vantagem, mas um excelente golo de Carla Couto levou o jogo para a “sorte” das grandes penalidades. Kimberly Brandão permitiu a defesa da guarda-redes e Carla Couto atirou à barra. As finlandesas não falharam qualquer penalidade e neste capítulo venceram por 4-2 ditando deitando por terra o sonho das jogadoras lusas.

Nórdicas saíram na frente
Apesar do favoritismo apontado às nórdicas, a equipa portuguesa conseguiu equilibrar a partida durante os primeiros 45 minutos, mostrando que está a crescer e que é capaz de fazer frente a uma formação que ocupa a 17ª posição do Ranking de Futebol Feminino (Portugal ocupa a 45ª posição) e que prepara a sua participação na fase final do Europeu.

O equilíbrio registado nos primeiros minutos não fazia esperar que as finlandesas se adiantassem no marcador logo aos 12 minutos. Annica Sjölund rematou dentro da área para defesa de Neide Simões, mas na recarga Susanna Lehtinen não perdoou e abriu o activo no Estádio Municipal de Lagos.

Reacção de Portugal
Instantes depois, Portugal tentou reagir com Carla Couto rematar forte, mas por cima. Até à meia hora, o jogo manteve uma toada de equilíbrio sem que nenhuma das equipas conseguisse criar mais jogadas de perigo.

Aos 39 minutos, Susanna Lehtinen voltou a apareceu na cara de Neide Simões mas o remate saiu por cima.

As nórdicas tentaram explorar, sobretudo, os lances pela ala esquerda aproveitando a velocidade da ala esquerda Leena Puranen – a jogadora responsável pelo maior número de ataques na primeira parte.

Aos 42 minutos, a árbitra assistente assinalou fora de jogo num lance de perigo de Edite Fernandes e nos instantes finais do primeiro tempo as finlandesas ainda remataram com muito perigo com a bola a rasar a barra.

Poderio físico das finlandesas
No segundo tempo, o poderio físico das nórdicas veio mais ao de cima nos primeiros minutos da etapa complementar. Com mais tempo de posse de bola conseguiram controlar mais o jogo, com a formação das Quinas a tentar explorar o potencial técnico das suas jogadoras mais avançadas: Ana Borges, Carla Couto e Edite Fernandes.

Mais possantes fisicamente, as nórdicas mostraram conseguir ser mais perigosas, no entanto a resposta lusa foi sempre uma constante, conseguindo um maior número de ataques na segunda parte.

Carla Couto no momento do jogo
Aos 69 minutos a Equipa das Quinas dispôs de um livre à entrada da área que embateu na barreira, mas Carla Couto com um remate fantástico à meia-volta só fez a bola parar nos fundos das redes adversárias.

A equipa comandada por Mónica Jorge empolgou-se com o golo do empate Ana Borges aos 82’ apareceu na frente da guarda-redes adversária, mas não conseguiu evitar a defesa- No minuto seguinte novamente, Ana Borges, a criar perigo, mas a chegar algo atrasada.

Num final de jogo emotivo, ambas as equipas mostraram ânimo para lutar por outro resultado e pertenceu a Portugal o maior empenho para evitar as grandes penalidades.

Sem perder
A prestação lusa foi a melhor de sempre nesta competição. A equipa de Mónica Jorge terminou a prova sem derrotas, apontando seis golos durante a competição. Portugal termina assim a sua participação no Algarve Women’s Football Cup 2009 – Mundialito de Futebol Feminino na oitava posição à frente das Selecções da Áustria, Noruega, País de Gales e Polónia.

“Parabéns às atletas”
No final do encontro, a Seleccionadora Nacional, Mónica Jorge, deu “os parabéns às atletas pela magnífica prestação neste Mundialito. Estivemos muito bem nos outros jogos e sabíamos que iríamos ter um encontro bastante complicado diante da Finlândia – uma equipa bastante forte fisicamente. Do ponto de vista físico as nossas jogadoras já apresentavam algumas debilidades, mas encarámos o encontro de igual para igual batendo-nos até ao fim pelo resultado”.

“Queríamos a melhor posição de sempre no Algarve Cup… Apesar de não o termos conseguido, para mim é como tivéssemos alcançado esse feito, pois perdemos o jogo na decisão por penaltis, mas ganhámos uma equipa. Ficámos com muito bons indicadores para o futuro. Aprendemos muito nesta prova em que existe grande competitividade. Este é um feito glorioso de uma equipa que está em crescimento.”

“Temos futuro”
Mónica Jorge considera que “o Futebol Feminino tem futuro em Portugal. Gostei das novas jogadoras que mostraram que existe muito valor e talento. As nossas meninas jogam bom Futebol e podem continuar a crescer”.

“Agora vamos pensar na qualificação para o Campeonato do Mundo. Vamos aguardar o resultado do sorteio na próxima semana, em Nyon (Suíça) e criar um grupo para preparar com tranquilidade a qualificação. Vontade e qualidade não nos falta para sonhar com o objectivo de estar na fase final”, concluiu

“Valor e qualidade”
No final da partida Carla Couto realçou “o empenho desta equipa foi muito grande e foi pena não termos ganho nas grandes penalidades, mas estamos de parabéns por esta prestação no Algarve Cup”. Edite Fernandes destacou ainda “o valor e a qualidade do grupo”.

Carla Couto recebe Prémio Garvetur
A internacional lusa, Carla Couto, que apontou o brilhante golo de Portugal recebeu da Garvetur a oferta de um fim-de-semana no Algarve. Com o golo que apontou, Carla Couto igualou Hanna Ljungberg e Victoria Svensson no topo das melhores marcadoras de sempre da competição, com 14 golos.

Ficha do Jogo
XVI Algarve Women’s Football Cup / Mundialito de Futebol Feminino.
Jogo de classificação do 7º e 8º lugar
Estádio Municipal de Lagos

Árbitra: Sachiko Yamagishi (Japão).
Árbitras Assistentes: Hongjuan Liu (China) e Saori Takahashi (Japão).
4ª Árbitra: Jacqui Melksham (Áustria).

PORTUGAL 1-1 (2-4 agp) FINLÂNDIA (0-1, ao intervalo)

PORTUGAL: Neide Simões (Jamila Marreiros, 45’); Lissette Brandão, Kimberly Brandão, Sílvia Rebelo e Sónia Matias; Sílvia Brunheira, Dolores Silva (Sofia Vieira, 52’), Paula Cristina – Cap. (Carole Costa, 80’) e Joana Carvalho (Ana Borges, 45’); Edite Fernandes e Carla Couto.
Suplentes não utilizadas: Helga Portugal, Mónica Gonçalves, Kikas e Ana Valinho.

Treinadora: Mónica Jorge.
Golos: Carla Couto (69’).
Disciplina: Nada a assinalar.

FINLÂNDIA: Minna Meriluoto; Tuija Hyyrynen, Miia Niemi, Sanna Valkonen (Anna-Kaisa Rantanen, 45’) e Maija Saari; Jessica Julin – Cap., Anna Westerlund e Annica Sjölund (Sanna Talonen, 77’); Nina Hietanen (Essi Sainio, 45’), Susanna Lehtinen e Leena Puranen (Katri Nokso-Koivisto, 67’).

Suplentes não utilizadas: Jaana Lyytikäinen, Petra Hakkinen e Tiina Salmén.
Treinador: Michael Kald.
Golos: Susanna Lehtinen (12’)
Disciplina: Cartão amarelo exibido a Maija Saari (68’).

in fpf.pt

Anúncios

About S.U. 1º Dezembro | Futebol Feminino

Campeãs Nacionais de Futebol Feminino | National Women's Football Champions Ver todos os artigos de S.U. 1º Dezembro | Futebol Feminino

Comments are disabled.

%d bloggers like this: